A última vez que o Brasil caiu cedo na Copa do Mundo foi em 1990, quando foi eliminada pela Argentina, por 1 a 0, nas oitavas de final. Nas Copas seguintes o time emendou um título, final, mais um título, duas eliminações nas quartas e uma eliminação na semifinal na Copa que aconteceu no Brasil. Melhor nem dizer o placar.

Além disso, o Brasil enfrentou o México quatro vezes em Copas do Mundo – 1950, 54, 62 e 2014 – com três vitórias, um empate e 11 a 0 no placar agregado.

Então o que quero dizer é que já dá para comemorar a vitória do Brasil e passagem para as quartas? Calma lá. O México do “jogamos como nunca, perdemos como sempre” pode ter virado a esquina no seu trauma do grande palco.

Digo isso porque no jogo de estreia, contra a campeã do mundo, o México venceu por 1 a 0 a Alemanha e poderia ter sido mais. O ataque com Hirving Lozano, Carlos Vela e Javier Chicharito Hernandez é rápido e ameaçador, especialmente contra seleções que vão querer a bola e ditar o ritmo do jogo.

Brasil tenta manter crescente contra ameaçador México
Em seus três jogos na fase de grupos o Brasil não conseguiu completar uma excelente partida, tendo apenas bons momentos em tiros de 20 minutos, especialmente no segundo tempo contra a Costa Rica e no primeiro tempo contra a Sérvia.

Mas o que deu para notar é que há uma dificuldade para se impor no jogo e mesmo tendo sofrido apenas um gol, a Sérvia especialmente poderia ter balançado as redes caso fosse competente no terço final do campo.

O México mostrou essa competência, mas também mostrou grande instabilidade. A derrota para a Suécia por 3 a 0 poderia ter custado a classificação caso a Alemanha tivesse vencido a Coreia do Sul. E assim o triunfo contra os atuais campeões e também contra os asiáticos de nada serviria.

Ou seja, o Brasil precisa apresentar mais, porque deve sofrer mais riscos contra os mexicanos, que têm uma grande chance de mostrar que estão prontos para seu grande momento. O treinador Juan Carlos Osorio com certeza irá preparar uma seleção que sabe recompor e sair rápido com seus três homens de frente. Se isso será suficiente para bater o Brasil, só saberemos na segunda-feira.

Aposte na Copa do Mundo 2018